Mais de três mil índios Marcham rumo ao Congresso Nacional

Antes da Marcha, pela manhã desta terça-feira (25) indígenas das cinco regiões do país participaram da Plenária de Abertura da 14º Acampamento Terra Livre.

Durante a plenária os indígenas levaram as principais reivindicações e definiram estratégias de luta e resistência. Sônia Guajajara da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil-(APIB) mobilizou os parentes, para juntos evitararem os retrocessos e a perda de direitos. Sua fala foi ovacionada:


“O ATL veio para dizer qual é a democracia que queremos.
O direito à terra é nosso. A Constituição apenas o reconheceu.
A democracia está sendo enterrada. Nós não podemos mais nos orgulhar da Constituição Federal porque ela está sendo desmontada. Nós não vamos mais defender ‘demarcação já’. Vamos defender a auto-demarcação já.” Afirmou.
Sônia relembrou que na ditadura nós tivemos mais de 8 mil indígenas mortos e que todos os dias o massacre continua, em diversas terras indígenas.
“Os discursos de ódio estão trazendo de volta o preconceito. É esse o discurso que levou a morte do índio Galdino que foi queimado aqui mesmo em Brasília. Viemos aqui para defender um direito que já está escrito. Queremos respeito, queremos justiça.”Ressaltou
Há pouco teve início a Marcha Rumo ao Congresso Nacional, partindo do Acampamento Terra Livre na Esplanada dos Ministérios. Mais de 2 mil indígenas carregam 200 caixões simbolizando o genocídio indígena.


“O ATL neste ano tem uma pauta de unificação de lutas. Esse ato, esses caixões representam a matança dos povos indígenas praticadas pelo governo”, alerta Dinamam Tuxa, da coordenação da Apib.
Quatro mulheres puxam a fila de guerreiros, entre elas: Sônia Guajajara, Angela Katxuyana e Pui Tembe.

 


“A nossa principal pauta é pela demarcação das Terras Indígenas. É a primeira vez que se reúnem 3 mil indígenas em Brasília”, comenta Eunice Kerexu Guarani Mbya, da TI Morro dos Cavalos.
Segundo informações da APIB, já são mais de 3 mil indígenas em Brasília e até o final do acampamento, dia 28 de abril esse número poderá chegar à 4 mil. É o maior número de indígenas num Acampamento Terra Livre, que está na sua 14ª edição.

Por conta do aumento do número de indígenas que rumaram à Brasília a organização solicita ajuda para alimentação dos parentes.
Quem estiver em Brasília pode fazer doações de alimentos no acampamento, na Esplanada dos Ministérios. Quem está fora de Brasília pode fazer doações no vaquinha:
https://www.vakinha.com.br/vaquinha/atl-acampamento-terra-livre-2017

Fotos: Página da Mobilização Nacional Indígena (Facebook)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *